domingo, 29 de novembro de 2009

Sem medo de saborear o medo,
Saio deste asilo mental, do tempo.
Num novo eu que irrompe, livre,
De encontro à luz, desprendimento...

Rasgo as páginas antigas, poeirentas,
Crio um novo capítulo, nasço, respiro...
Seduzo a tristeza, danço com os temores,
Vida minha, só minha, e assim tem de ser...

2 comentários:

Box disse...

"Seduzo a tristeza, danço com os temores,"

Sem dúvida que me deixaste apático ao escrever isto !

Continua ;)

Rui Manuel Ferreira disse...

Vive a vida com a força da tua energia interior, reflecte e manda cá para fora tudo aquilo que te faz lutar, tudo aquilo que te faz acreditar. Não vivas na ilusão, nem vivas em função de ter que agradar ao mundo exterior, porque para amares algo verdadeiramente tens primeiro que te amar a ti próprio. ;)

Continua irmão... abraço