domingo, 6 de dezembro de 2009

O som que vem de cima,
É de mar, sombra, vento...
Mergulho neste encanto, maldição!
Sou cego deste tempo rápido,
E não sei se sou eu que não quero ver...

Veste aquele vestido, trapo,
Transparente, alma solta, embriaguez.
Mantém essa arrogância, altivez...

Dança estes passos de revolução,
Esquece os momentos, são velhos, descolorados.
Lembra, revive, ressuscita, liberta, Sê...

2 comentários:

Box disse...

Palavras simples numa reflexão profunda .

Continua !

borboletaZinhaa disse...

bunito ari , profundo este

a simplicidade da palavra ^^